Alfa RomeoAutomobilismoFerrariHistóriaJuan Manuel FangiomaseratiMercedes-benz

Juan Manuel Fangio – A história do primeiro pentacampeão mundial de Fórmula 1 (Final)

Juan Manuel Fangio foi um dos maiores pilotos de automobilismo de todos os tempos. Sua carreira é repleta de vitórias.

Embora tenha participado de diferentes categorias, foi na Fórmula 1 que o piloto argentino se consagrou.

Fonte: Reprodução do site Motorsport: Fangio Alfa Romeo 158

Nos primeiros anos da categoria poucas foram às corridas completadas em que ele não esteve no pódio. Em 8 temporadas conquistou 5 campeonatos.

É essa história impressionante que começamos a contar em nosso blog, em dois artigos já publicados, aqui e aqui , e que iremos terminar hoje.

Juan Manuel Fangio: a consagração na Fórmula 1

Após a conquista do primeiro título mundial em 1951, Fangio se viu forçado a não disputar a Fórmula 1 no ano seguinte.

Devido às mudanças nas regras a Alfa Romeo, equipe pela qual correu as duas primeiras temporadas e fora campeão, deixou a categoria.

Em 1952 o piloto argentino volta, então, a demonstrar todo seu talento e habilidade nas pistas sul-americanas.

Não demora e já no ano seguinte volta ao Mundial de Pilotos, dessa vez, correndo pela Maserati.

Fangio encontrava uma categoria que agora passava a lidar com os acidentes fatais. A década de cinquenta vitimou 17 pilotos.

Assim, não era apenas uma questão de ser o mais rápido, mas de ser capaz de controlar seu carro e ter prudência.

A volta de Juan Manuel Fangio, após um ano afastado, deixou um pouco a desejar. Naquele ano conquistou apenas uma vitória.

Seu desempenho, porém, garantiu um segundo lugar no campeonato, atrás de Alberto Ascari, da Ferrari.

No ano seguinte o piloto, ainda pela Maserati, conquista duas vitórias logo de cara.

Ocorre, então, uma grande mudança que marcaria sua carreira: passa a ser piloto da Daimler-Benz, que estreava na categoria.

Fonte: Reprodução do site Fuel Tech: Fangio Mercedes Benz

A química do piloto com o carro W196 foi impressionante. 14 corridas disputadas em dois anos. 10 vitórias. 2 títulos mundiais.

Após esse início promissor, a Daimler Benz opta por se retirar da Fórmula 1. Os alemães só voltariam a competir com equipe própria em 2010.

Como dissemos no artigo anterior, a loja Paíto Motors conta com uma réplica em tamanho real do modelo W196 fazendo parte de sua decoração, vale a pena dar uma olhada!

Reprodução Foto Decoração Paíto Motors

Fangio, colecionava 3 títulos em 5 temporadas disputadas e já era a maior estrela da categoria.

Vale lembrar que na época ele correu com grandes nomes do automobilismo. Como Giuseppe farina, Alberto Ascari, José Forilan Gonzales e Stirling Moss.

Ou seja, o domínio não era por falta de competidores qualificados, mas, por sua enorme qualidade e capacidade atrás do volante.

Fonte: Reprodução do site Panorama Auto: Fangio e Ascari

Sendo o principal nome da Fórmula 1, a saída dos alemães não afetou o argentino que assinaria com a Ferrari.

Com os italianos, iniciou a disputa do campeonato de 1956 a bordo de um Lancia-Ferrari D50.

Fonte: Reprodução do site Rodrigo Mattar Grande Premio: Lancia Ferrari D50

Juan Manuel Fangio travou um disputa emocionante com Stirling Moss, terminando o campeonato com uma distancia de apenas 3 pontos.

Enquanto Fangio venceu o GP de Buenos Aires, Grã Bretanha e da Alemanha, Moss ficou na frente em Mônaco e na Itália.

No ano seguinte, o piloto voltaria a Maserati, única equipe pelo qual havia corrido sem conquistar um campeonato.

Foram 7 corridas, com 4 vitórias, 2 segundos lugares e um abandono, que lhe renderam um campeonato tranquilo. Terminou a mais de dez pontos do segundo colocado.

Era seu quinto campeonato. Um marca batida apenas por Michael Schumacher no início desse século.

Fonte: Reprodução do site Reddit: Formula 1 Juan Manuel Fangio driving a maserati 1957 (colorida digitalmente)

1958 marcaria a despedida do piloto nas pistas.

Segundo Fangio, durante os testes para o GP de Reims, na França, percebeu que sua Masserati estava mais instável.

Ao questionar os mecânicos, esses disseram que era porque haviam mudado os amortecedores.

Quando solicitou que fosse, então, colocado os antigos, recebeu como resposta que isso seria impossível, pois a marca dos que estavam no carro havia pago para isso.

Foi quando Juan Manuel Fangio, um dos maiores pilotos de todos os tempos, percebeu que seu tempo tinha acabado.

Já não era um esporte. Era um negócio.

Fonte: Reprodução do site Motorsports Image Formula 1

Nesse mesmo ano, o piloto ainda passaria por uma grande aventura em Cuba.

Convidado para uma corrida pelo então ditador Fulgencio Batista, Fangio foi sequestrado por guerrilheiros partidários de Fidel Castro.

A ideia do grupo era chamar a atenção mundial para o regime de Batista.

O sequestro durou 29 horas. O piloto foi liberado assim que a prova terminou.

A época ele deu declarações dizendo que simpatizou com seus sequestradores e até mesmo acabou se tornando amigo deles.

Após se retirar das pistas, Fangio passou a vender carros da Mercedes e por diversas vezes foi piloto de demonstração.

Fonte: Reprodução do site Hemmings: Racing Heroes Juan Manuel Fangio

Sua relação com a marca alemã fez que ele fosse nomeado presidente da Mercedes-Benz argentina em 1974.

Com sua história e desempenho a frente da marca, se tornou presidente honorário vitalício em 1987.

Juan Manuel Fangio morreu em Buenos Aires, em 1995, aos 84 anos, de problemas renais e pneumonia.

Fonte: Reprodução do site Unique Cars and Parts: Juan Manuel Fangio

Está, porém, no seleto grupo daqueles que são imortalizados pela história.

Gostou desse artigo? Continue acompanhando nosso blog e tenha acesso a mais histórias e informações como essa.

E para saber todas as novidades de nossa loja, curta nossa página nas redes sociais!

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *