AutomobilismoCorridas e competiçõesFerrariFormula 1HistóriaNiki LaudaPiloto

Niki Lauda – Uma lenda das pistas. (Parte 1)

O esporte é um construtor de lendas. Os atletas que se destacam em diferentes práticas esportivos são os heróis modernos.

Essa semana nos despedimos de uma dessas lendas, um dos grandes heróis do automobilismo, o austríaco Niki Lauda.

O tricampeão de Fórmula 1 faleceu devido a complicações renais. Em 2018 Lauda passou por um transplante de pulmão e desde então sua saúde havia se fragilizado.

Para homenagear o campeão a Paíto Motors começa a contar algumas das grandes histórias de sua carreira.

Começamos com seu início no automobilismo, e a chegada aos primeiros anos na Ferrari, confira!

Niki Lauda: a trajetória de um campeão – O início:

Niki Lauda nasceu na cidade de Viena, Áustria, em 1949, em uma família de industriais rica e tradicional.

Seu avô por parte de pai, Hans Lauda, era uma conhecida figura vienense, tendo fundado, em 1946, a Associação de Industriais Austríacos.

Com isso, não é de se surpreender o fato da família ter sido contra a entrada de Niki Lauda no automobilismo.

Fonte: Reprodução do site Pinterest: Niki Lauda as a child

A época as corridas eram extremamente perigosas, sendo comum a ocorrência de acidentes graves.

Desafiando a família o austríaco começou nas pistas disputando provas com um Mini e logo chegou a Fórmula Vee, como era comum na Europa.

Logo, contudo, Lauda deixou a categoria para trás e passou a dirigir carros esportivos da Porsche e da Chevron.

Fonte: Reprodução do site Pinterest: Niki Lauda Porsche 908/02

Após algum destaque nas pistas europeias, o piloto se vê obrigado a solicitar uma empréstimo de 30.000 libras para comprar sua vaga na equipe March da Fórmula 2 em 1971.

Apesar de construir uma carreira vitoriosa, os conflitos familiares continuavam intensos, levando o piloto a romper contato com estes.

Fonte: Reprodução do site Motorsport: Niki Lauda March 712M

Não demorou para que  Niki Lauda fosse alçado a Fórmula 1. No ano seguinte ele era o piloto da March  em ambas as categorias!

A chegada na Ferrari

A March abriu espaço para Lauda, mas a equipe, que havia sido recém-criada, encontrava dificuldades na Fórmula 1.

A temporada de 1972 foi desastrosa, apesar do reconhecido talento do piloto, o que obrigou o austríaco a procurar outra equipe no ano seguinte.

Fonte: Reprodução do site Grand Prix History

Novamente ele se via obrigado a requisitar um empréstimo para fazer parte de uma equipe, dessa vez na BRM.

Na BRM, Lauda logo mostrou todo seu potencial e velocidade, mas a equipe se encontrava em dificuldades, o que resultou na saída de seu colega de time Clay Regazzoni.

Fonte: Reprodução do site Pinterest: Lauda and Regazzoni

Regazzoni voltaria a Ferrari em 1974, e ao chegar lá foi questionada pelo prório Enzo Ferrari sobre o austríaco.

As referências foram tão boas que a Ferrari logo contratou Niki Lauda, pagando a ele o suficiente para quitar os empréstimos contraídos.

Os primeiros anos a bordo do carro vermelho

O inicio dos anos 1970 não haviam sido os melhores para a Ferrari. O início da temporada de 1973 havia sido especialmente ruim para os italianos.

Como resultado, no ano seguinte a equipe foi então reformulada sob a supervisão de Luca di Montezemolo.

Fonte: Reprodução do site Reddit: Enzo Ferrari, Niki Lauda and Luca Di Montezemolo

Assim o desafio de Lauda ao chegar na Scuderia era duplo: era preciso enfrentar um momento de mudança e ainda provar seu valor.

Sim, aquela altura o austríaco era um piloto pouco conhecido e sem grandes resultados na categoria, embora fosse possível perceber algum talento.

As desconfianças, porém, logo foram dissipadas, com um segundo lugar na estreia da temporada daquele ano, no GP da Argentina.

Fonte Reprodução do site Grand Prix History

3 corridas depois, o piloto alcançaria sua primeira vitória – e a primeira da Ferrari desde 1972 – no Grande Prêmio da Espanha, conquistando de vez os corações ferraristas.

Naquela temporada Niki Lauda largaria na pole position por 6 vezes consecutivas, sendo um postulante  a título.

Sua inexperiência e alguns problemas mecânicos, porém, fizeram com que o austríaco tivesse apenas mais uma vitória naquele ano, no GP da Holanda.

Fonte: Reprodução do site Reddit: Niki Lauda raced the Spanish GP

Como resultado, terminou a temporada do mundial de pilotos em 4º lugar. O título ficou com o nosso Emerson Fittipaldi.

Ficava claro, porém, que a Fórmula 1 tinha um novo talento!

Em 1975 a Ferrari e o piloto eram apontados como um dos favoritos na temporada, mas o começo foi decepcionante.

Nas primeiras 4 corridas a melhora posição de Niki Lauda foi um quinto lugar.

Em compensação, na sequência ele teria 5 vitórias seguidas, confirmando o título do campeonato daquele ano com um terceiro lugar no GP de Monza.

A prova foi vencida por seu parceiro Clay Reggazzoni, e marcou a vitória da Ferrari no mundial de construtores após 11 anos.

Foi o primeiro título Niki Lauda que ainda cumpriria uma trajetória brilhante na categoria, inclusive após a aposentadoria!

Fonte: Reprodução do site Pinterest: Niki Lauda Clay Regazzoni 1975 Swedish Grand Prix

No próximo artigo iremos contar a incrível temporada de 1976, marcada pela rivalidade com James Hunt e o grave acidente em Nürburgring, o segundo título mundial, a primeira aposentadoria e a volta as pistas!

E para ficar por dentro de todas as novidades da Paíto Motors, curta nossas páginas nas redes sociais!

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *