24 Horas de Daytona – Uma história de sucesso

As provas de endurance foram (e ainda são) fundamentais pra a indústria automotiva.

São nas pistas das corridas de longa duração que novas tecnologias e modelos de carros ganharam vida.

É muito comum, por exemplo, que uma novidade seja testada primeiro nas pistas, para depois chegarem aos carros de rua.

Quando pensamos nesse tipo de prova é inevitável nos lembrarmos da lendária 24 Horas de Le Mans.

A corrida francesa é uma das mais antigas da história e presenciou momentos e modelos icônicos.

Mas, ao lado dela há outra prova que também merece todo o respeito e admiração dos apaixonados por automobilismo: as 24 horas de Daytona.

Fonte: reprodução do site oficial da International Motor Sport Association

24 Horas de Daytona: da Nascar ao Endurance

Poucos países possuem uma relação tão apaixonada pelos veículos automotores quanto os Estados Unidos da América.

O país conta com mais de 260 milhões de veículos em suas vias.

Essa paixão não está restrita apenas ao carro como meio de transporte individual, mas, se estende também ao automobilismo.

Na década de 1950, um fundador da National Association for Stock Car Auto Racing (Nascar), uma das principais associações do automobilismo norte americano, construiu o circuito de Daytona.

A inauguração do autódromo ocorreu em abril de 1959 com uma corrida de 1.000 quilômetros no circuito oval.

A prova acabou antes da hora devido à falta de luz solar, mas deixou uma marca definitiva no automobilismo norte-americano.

Fonte: Reprodução do Site Inside Track em matéria sobre a corrida de Daytona em 1959

A Daytona 500, da Nascar, passou a ser a principal corrida dos Estados Unidos, conquistando público e mídia.

O criador do circuito, William ‘Bill’ France, queria ainda mais e tinha como desejo transformar sua pista em local para eventos diversos.

Em 1961 ele conseguiu autorização da FIA para homologação de seu circuito de 4 km e inclusão de um prova de 3 horas no Campeonato Internacional de Marcas GT.

Vale lembrar que na época os Estados Unidos já contava com uma prova de endurance consolidada: às 12 Horas de Sebring.

Isso não impediu France, e, em 1º de fevereiro de 1962, ocorreu a primeira Daytona Continental, com suas 3 horas de duração.

Essa prova, aliás, é considerada uma das mais emocionantes da história do circuito e tinha no grid o campeão da F1, Phil Hill, da USAC (Indy), Aj Foyt, além de outros nomes de pesos dessas categorias e da Nascar.

A. J. Foyt parado ao lado de seu Pontiac tempest antes da corrida. Fonte: Reprodução do site Sports Cars Digest em matéria sobre a corrida de Daytona em 1962

O campeão foi Dan Gurney, com sua Lotus-Max 19.

Gurney, aliás, liderava com folga nos minutos finais, quando sentiu um problema no motor de seu veículo.

Com receio de que o carro não fosse capaz de completar a última volta o piloto parou a poucos metros da linha de chegada, esperando os minutos que faltavam para completar às 3 horas.

Assim que viu a bandeira quadriculada nas mãos dos fiscais, soltou o freio do carro e deixou que inclinação fizesse o trabalho.

Uma vitória emocionante a poucos segundos a frente do segundo colocado, Phil Hill com sua Ferrari 250 GT.

O resultado desse acontecimento não poderia ser outro: Daytona foi celebrado e caiu no gosto de montadoras, pilotos e público.

No ano seguinte o formato foi repetido, enquanto em 1964 e 1965 a prova foi estendida para 2 mil quilômetros.

Em 1966 foi adotada as 24 Horas, colocando Daytona no posto de uma das mais importantes corridas de endurance junto com Le Mans e Sebring.

Durante anos 80 e 90 a retirada da prova do calendário oficial da FIA, fez com que às 24 horas de Daytona perdesse um pouco de seu prestígio e apelo.

Já nesse século, porém, o cenário se modificou e com a reaproximação de dirigentes ela voltou a ter todo seu prestígio.

Nada mais justo para um dos circuitos com maior história e que recebeu grandes pilotos e modelos lendários.

Fonte: Reprodução do site oficial da Audi-Mediacenter. 24h Daytona 2016

 

Da nossa parte, apaixonados pelo automobilismo e supercarros, só nos resta desejar vida longa a 24 Horas de Daytona!

E você? Se lembra de algum momento marcante dessa importante prova do automobilismo mundial?

Conta para nós nos comentários!

E não deixe de acompanhar nossas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades da Paíto Motors.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *